Home»Detalhe de Notícias
 
Curso de sensibilização Suporte Básico de Vida

Considerando que a paragem cardíaca súbita representa a principal causa de morbilidade e mortalidade nos países desenvolvidos, acontecendo quase sempre fora do meio hospitalar, a Comissão de Juventude do SBN com o apoio da Direção do SBN, vai levar a efeito nas instalações dos Bombeiros Voluntários da Areosa/Rio Tinto(*) uma ação de formação relativa ao tema “Suporte Básico de Vida”, em 4ª edição mais o conhecimento, aprendizagem e manuseamento do D.A.E.(Desfibrilador Automático Externo), não ficando os participantes nesta formação certificados ao uso do mesmo.

O Suporte Básico de Vida envolve uma série de procedimentos e técnicas a realizar, que visam garantir que as funções vitais se mantenham estáveis ou pelo menos atrasem o tempo em que os danos se tornem irreversíveis.

Pretende-se desenvolver uma cultura séria de Emergência Médica, destinada a salvar vidas e reduzir fatores de mortalidade e morbilidade. As manobras básicas de socorro são, sem margem de dúvida uma “arma” para a nossa sobrevivência, ao alcance de todos.

Qualquer um de nós pode salvar uma vida ou pelo menos tentar que as funções vitais se mantenham estáveis até à chegada dos meios técnicos e humanos mais qualificados.

Assim, o SBN vai promover, nas instalações acima indicadas, a sua 4ª sessão, de 4 h de formação, no próximo dia 3 de novembro, sábado, das 15:00 h às 19:00 h.

As inscrições são limitadas a um mínimo de 10 e a um máximo de 15 formandos por sessão. No final da sessão será entregue um certificado de participação.

Nota: Se o número inscrições ultrapassar o previsto, e se existirem no mínimo 15 em lista de espera, para cada sessão, o SBN realizará novas ações de formação no mesmo local, mesmo horário, em dia a indicar.

O SBN só realizará novas sessões desde que as inscrições nas anteriores estejam completamente preenchidas.

Preço: Sócios do SBN e agregado familiar(*) - 15,00€
Acompanhantes - 17,50 €

(*) Entende-se por agregado familiar, única e exclusivamente, os familiares do sócio, devidamente registados nos SAMS.

As inscrições deverão ser efetuadas na Loja de Atendimento do SBN (SAG) - rua da Fábrica, 81 • 4050-151 Porto até ao dia 26 de outubro de 2018.
Para mais informações contactar a SAG, através dos telefs. 2233988809/805/817 ou sag@sbn.pt.

Nota: Só se aceitam desistências, com garantia de reembolso, até ao dia 29 de outubro, inclusive.

Saudações Sindicais
A DIREÇÃO




Para mais informação, consulte a circular em anexo:
- Circular 71 (Formato PDF)



CURSO DE SENSIBILIZAÇÃO EM SUPORTE BÁSICO DE VIDA (SBV)


1 – Fundamentação

A paragem cardíaca súbita representa a principal causa de morbilidade e mortalidade nos países desenvolvidos, acontecendo quase sempre fora do meio hospitalar. Estudos recentes têm revelado que uma intervenção precoce na paragem cárdio-respiratória, tanto no adulto, como na criança, pode minimizar as consequências dramáticas destas situações.
Estruturado de acordo com as Guidelines do Conselho Europeu de Ressuscitação (ERC, 2005) o Curso de Suporte Básico de vida tem como objetivo desenvolver competências ao nível das técnicas de suporte básico de vida no adulto e da sua aplicação a cidadãos no seio de grupos populacionais específicos.
Qualquer um de nós pode salvar uma vida ou pelo menos tentar que as funções vitais se mantenham estáveis até à chegada dos meios técnicos e humanos mais qualificados.
Na cadeia de sobrevivência cujos elos se representam, cada um complementa o outro e o êxito do seguinte depende da boa realização do anterior.
O Suporte Básico de Vida envolve uma série de procedimentos e técnicas a realizar, que visam garantir que as funções vitais se mantenham estáveis ou pelo menos atrasem o tempo em que os danos se tornem irreversíveis.
Assim, desde muito jovens deveríamos saber quais os passos de ativação do Sistema Integrado de Emergência Médica – SIEM, saber como nos confrontar perante uma vítima inconsciente, que manobras se devem realizar para manter as funções vitais até à chegada do socorro especializado.
Fortalecer a “cadeia de sobrevivência” e ensinar gestos que possam salvar uma vítima em situação de paragem cárdio-respiratória é o presente desafio.
Sensibilizar para a abordagem de uma vítima, que sofreu um acidente ou uma doença súbita, efetuando os primeiros cuidados e detetando situações que possam agravar o seu estado, constitui também uma prioridade.
Pretende-se assim, desenvolver uma cultura séria de Emergência Médica, destinada a salvar vidas e reduzir factores de mortalidade e morbilidade.
As manobras básicas de socorro são, sem margem de dúvida uma “arma” para a nossa sobrevivência, ao alcance de todos.


2 – População Alvo

Destina-se a toda população em geral, aqueles que na sua vida profissional trabalham em especial com pessoas e público, como por exemplo, bancários, guias turísticos, gestores e coordenadores de entidades turísticas, animadores socioculturais, professores, assistentes sociais, profissionais de saúde, entre outros.


3 – Tipo de Ação de Formação

Curso de Sensibilização em Suporte Básico de Vida (SBV).


4 - Objetivos Gerais da Ação

- Adquirir as competências necessárias à correta abordagem de uma vítima adulta em paragem cárdio-respiratória, nomeadamente:
- Conhecer a cadeia de sobrevivência;
- Adquirir treino na abordagem da via aérea;
- Adquirir treino na execução das compressões torácicas;
- Desenvolver competências relativas a métodos de ventilação artificial;
- Aplicar corretamente o Suporte Básico de Vida, segundo o Conselho Português Ressuscitação;


5 - Objetivos Específicos da Ação

- Descrever o Sistema Integrado de Emergência Médica, enumerar as diferentes fases e respetivos intervenientes;
- Avaliar o estado de consciência da vítima;
- Identificar a perda de consciência de acordo com o algoritmo de Suporte Básico de Vida (SBV);
- Realizar abertura e desobstrução da via aérea;
- Identificar paragem-respiratória;
- Realizar ventilação artificial;
- Identificar paragem-cardíaca;
- Realizar compressões torácicas de acordo com o algoritmo de SBV;
- Realizar SBV, a um e dois reanimadores, de acordo com o algoritmo de SBV;
- Descrever as indicações, e realizar a colocação da vítima em posição lateral de segurança;
- Descrever e atuar em conformidade com as precauções universais;
- Descrever e atuar de acordo com as normas éticas e legais em vigor;

6 – Programa da Ação:

1. Introdução da Ação:
2. Sistema Integrado de Emergência Médica:
3. Precauções Universais e Doenças Transmissíveis:
4. Sistemas e Aparelhos:
5. Exame da Vítima:
6. Paragem Cárdio-Respiratória:
7. Desobstrução das Vias Aéreas:


7 - Duração da Ação de Formação:
A ação “Curso de Sensibilização ao Suporte Básico de Vida”, terá uma duração de 4 horas teórico-práticas.


9 – Metodologia

O curso será composto de sessões teóricas-práticas, onde se aplicarão os métodos expositivos e participativo, através da apresentação de casos práticos, onde os formandos terão oportunidade de aplicar os conhecimentos adquiridos em sala, através da aplicação das técnicas em manequins próprios, ou nos colegas.
O Desfibrilador Automático Externo (DEA) é um aparelho eletrônico portátil que diagnostica automaticamente as, potencialmente letais, arritmias cardíacas de fibrilação ventricular e taquicardia ventricular em um paciente[1]. Além de diagnosticar, ele é capaz de tratá-las, através da desfibrilação, uma aplicação de corrente elétrica que para a arritmia, fazendo com que o coração retome o ciclo cardíaco normal.
O desfibrilador automático externo (DEA), utilizado em parada cardiorrespiratória, tem como função identificar o ritmo cardíaco "FV" ou fibrilação ventricular, presente em 90% das paradas cardíacas. Efetua a leitura automática do ritmo cardíaco através de pás adesivas no tórax. Tem o propósito de ser utilizado por público leigo, com recomendação que o operador faça curso de Suporte Básico em parada cardíaca. Descarga: 200 J ( bifásico ) e 360 J ( monofásico ) em adultos. Crianças, acima de 8 anos - 100 J (redutor). Não há consenso na utilização de crianças com menos de 30 kg.
Hoje, são utilizados equipamentos em unidades de emergência e UTIs, com cargas monofásicas que variam de 0 a 360 Joules ou Bifásicas de 0 a 200J.
Em muitos países a aquisição e utilização dos aparelhos DEA é livre e incentivada, pelas seguintes razões:
em caso de paragem cardiorespiratória tem de ser aplicado de imediato, não havendo tempo para chamar um serviço de emergência; os DEA actuam sozinhos/inteligentemente, aplicando o choque apenas se for estritamente necessário.



     
   Imprimir        Voltar        Topo
Copyright © 2007 SBN