Pesquisa

ok
Home»Nortada»Nortada Detalhe
 
Febase critica mais rescisões no Barclays

Os sindicatos da Febase manifestaram à administração do Barclays em Portugal insatisfação face ao novo plano de rescisões no banco. Numa reunião realizada ao final da tarde de dia 30 de setembro, a pedido da administração do Barclays, a Febase tomou conhecimento do novo plano de reestruturação do banco em Portugal, que prevê a redução de sessenta a setenta balcões e a rescisão de contratos por mútuo acordo com 350 a 400 trabalhadores.
O plano será aberto a todos os trabalhadores, através de candidatura. O Barclays tem atualmente um quadro de 1.464 efetivos e um total de 147 balcões.
Os Sindicatos da Febase reafirmaram a posição defendida nas anteriores reestruturações, de que não aceitarão qualquer tipo de pressão sobre os trabalhadores.
Questionada pela federação, a administração adiantou pretender ter o processo concluído até ao final do primeiro trimestre de 2015, admitindo uma interrupção durante o período natalício.
A Febase criticou os responsáveis do banco, considerando este comportamento inadmissível. Aquando da implementação em Portugal, o Barclays recrutou trabalhadores de outras instituições com a promessa de um bom futuro profissional e agora descarta-os como se fossem um simples bem material, comprometendo seriamente a sua vida pessoal e familiar.
A Febase lamenta esta atitude do Barclays, que desde 2011 apresenta sucessivos planos de rescisão de contratos de trabalho, sempre com a promessa de que é o último – mas, algum tempo depois, surge mais um.
A federação espera que de uma vez por todas o banco defina uma política para a Europa, de forma a tranquilizar os trabalhadores quanto ao futuro. Neste novo plano de reestruturação e ao contrário do que sucedeu nos anteriores, o processo será debatido entre o banco e a recém-criada Comissão Nacional de Trabalhadores, estrutura a quem, nos termos da lei, compete a intervenção.
No entanto, a administração do Barclays comprometeu-se a manter os sindicatos informados sobre o decorrer do processo.
Embora caiba à Comissão Nacional de Trabalhadores a instrução ativa e direta do plano de rescisões, a Febase vai acompanhar atentamente o desenvolvimento e sempre que surjam novos elementos informará de imediato os associados.
Os sindicatos da Febase reafirmam total disponibilidade para acompanharem os associados, que devem, sempre que necessitem, dirigir-se aos respetivos serviços jurídicos.

     
   Imprimir        Voltar        Topo
Copyright © 2007 SBN