Pesquisa

ok
Home»Nortada»Nortada Detalhe
 
"Põe-te a andar, pela tua saúde..."

13ª caminhada: A Serra da Cabreira foi trajeto ideal...

O dia amanheceu lindo, sem nuvens e quente, e o encontro deu-se na interessante aldeia de Moscoso, em plena Serra da Cabreira. Era um grupo muito diversificado, em que coexistiam caminhantes experimentados com outros que pela primeira vez sentiam os prazeres de uma caminhada no monte.

A organização entendeu fazer um "briefing", em que foram transmitidos alguns conselhos e regras a cumprir durante a caminhada, sobretudo para aqueles que pela primeira vez se aventuravam neste tipo de experiência. Era chegada a hora do início da caminhada. Esperavam os participantes alguns quilómetros que o tempo esqueceu, com uma paisagem magnífica e um céu limpo, apenas aqui e ali pintado por alguns farrapos de nuvens. O Sol, a brilhar, com um calor intenso e uma luminosidade estonteante, favorecia os fotógrafos que integravam o grupo, permitindo a tomada de belas fotos.

A Serra da Cabreira é uma zona montanhosa de origem granítica a sul da Serra do Gerês, na transição entre o Minho e Trás os Montes, situando-se no distrito de Braga, com uma altitude máxima de 1.256 metros, cuja morfologia é de uma espécie de semicírculo com a convexidade voltada para norte, onde se encontram alguns vestígios de glaciações quaternárias ainda pouco estudadas, mas que se visualizam a olho nu, em particular em grande parte do percurso utilizado na caminhada, apresentando um vale profundo com dimensão muito considerável, nela se situando a nascente do rio Ave, que desagua na bela cidade de Vila do Conde.

O percurso iniciou-se na aldeia de Moscoso, descendo pelas pedrarias que o tempo gastou, encontrando aqui e ali alguns cursos de água que alimentam os pequenos minifúndios próprios da região. Depois, foi seguindo o curso do profundo vale, uma encosta granítica de proporções consideráveis, onde se ouvia apenas o ruído ligeiro de águas que rasgavam a paisagem.

O espírito do grupo era de satisfação e de encanto por tudo quanto podiam observar, traduzindo-se numa grande jovialidade e confraternização, apesar de o caminho se tornar cada vez mais agreste, ladeado por fetos, carvalhos e, aqui e ali, por alguma outra flora mais ou menos colorida, avançando no terreno por um caminho traçado pelo homem, aproveitando as formas graníticas que a natureza tinha simplesmente colocado ali para fruição das populações que por aqueles lados sempre habitaram e que ainda hoje os amantes das aventuras na montanha muito apreciam.

As pedras gastas pelo tempo e por quem ao longo dos séculos as usou, mostravam-se ainda úteis, a caminhada continuava e a disposição do grupo continuava animada. Iniciada a subida em direção à aldeia do Formigueiro, começou a notar-se alguma falta de preparação física adequada aos cerca de 170 metros a subir naquele empedrado, criando alguma fratura no serpentear do grupo pela encosta da montanha.

No final da subida, um antigo carvalho entendeu por bem abrigar os caminhantes à sombra da copa, permitindo-lhes recuperar do esforço e redobrar as forças para o resto da caminhada, o que foi feito de forma tranquila ao abrigo das sombras dos pinheiros. Uma última espreitadela à fantástica e deslumbrante vista e a chegada, finalmente, ao restaurante onde esperava uma magnífica vitela.


... e 14ª caminhada: pela mata do Buçaco

Com uma manhã propícia à prática da atividade física, foram 105 os caminhantes que no passado dia 9 de julho partiram do Porto para participarem num passeio pedestre, sem guia, pelo interior da mata do Buçaco, levado a cabo pelo SBN, no âmbito das atividades de lazer, culturais e desportivas, destinada a todos os sócios do sindicato e familiares.

 A atividade consistiu, desta vez, numa caminhada livre pelos vários trilhos existentes num cenário perfeito para um passeio pelo interior da natureza, envolto pela beleza extraordinária da carismática Mata Nacional do Buçaco, que abarca cerca de 700 espécies de árvores exóticas e indígenas que permitiram, a todos os participantes usufruir, quer das belezas paisagísticas, únicas no panorama nacional, quer de visitas culturais a locais de interesse histórico, como seja o Palace Hotel do Buçaco, situado mesmo no coração da mata, uma das jóias da arquitetura e da história de Portugal.

     
   Imprimir        Voltar        Topo
Copyright © 2007 SBN