Pesquisa

ok
Home»Nortada»Nortada Detalhe
 
Breves

Economia deverá evitar recessão mas desemprego subir
O Presidente da AICEP diz que Bruxelas peca por defeito no crescimento, mas que no desemprego poderá estar correcta. Segundo reconheceu Basílio Horta, presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), num debate do Observatório da Imprensa, em Lisboa, a economia deverá recuperar devagar nos próximos anos, mas o desemprego continuará a piorar. Basílio Horta diz ainda que as exportações devem manter a economia à tona, evitando uma recessão como diz a Comissão Europeia, que aponta para uma contracção de 1% no produto. O FMI também diz que a economia deverá ter uma recessão ligeira em 2011.

Comissão Europeia saúda défice de 2010 e diz que Portugal está no caminho certo
O comissário europeu Olli Rehn, questionado à saída de uma conferência em Bruxelas, considerou que os “resultados orçamentais do ano passado em Portugal foram muito positivos” e que o país “está no caminho certo agindo de forma clara em termos de consolidação e de prosseguir reformas estruturais… Estamos a seguir de perto esses eventos em Portugal”, disse. O comissário afastou ainda a especulação em torno do contágio à Espanha, notando que Madrid “tomou medidas muito claras no sector bancário, no sentido de o reestruturar e de avançar com reformas”. No seu entender, e tal como referiu sobre Portugal, “Espanha pode virar a página com estas medidas”.

Crise entra no bolso das famílias
No Boletim de Inverno do BdP a instituição liderada por Carlos Costa estima uma contracção do consumo em 2,7%, quando a previsão anterior apontava para -0,8%. As famílias vão ser o grupo mais afectado pelo clima de austeridade em 2011. Apesar de o Banco de Portugal projectar uma ligeira subida na taxa de poupança, os agregados familiares vão sofrer uma forte quebra no rendimento disponível, que deverá contrair 2,4%, associado às medidas de austeridade.

Negociações sobre o clima: influência no desenvolvimento económico
Segundo a CES, o movimento sindical europeu acolheu favoravelmente o acordo final da conferência das Nações Unidas sobre o clima, em Cancún, que inclui as propostas sindicais para uma transição justa, mas exorta os governos a redobrar os esforços, em vista da próxima reunião, que se realizará em Durban, na África do Sul. “É necessário, desde já, implementar os instrumentos que permitam aplicar os financiamentos necessários, entre os quais uma taxa sobre as transacções financeiras, bem como os instrumentos de negociação e de diálogo social em todos os continentes, a fim de permitir essa transição justa. Isso facilitará a concretização, em Durban, dos objectivos de um desenvolvimento duradouro que foram inscritos no acordo do Cancún. Agora, as exigências de democracia social ficam reforçadas”, diz a CES.

Exigidos esclarecimentos sobre o emprego
O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou uma nota informativa sobre a alteração do método de recolha de informação no Inquérito ao Emprego e o início da publicação de uma nova série a partir de Maio, com a disponibilização dos dados relativos ao primeiro trimestre de 2011, em que é afirmado que deixarão de ser viáveis comparações directas com estimativas provenientes da série de dados anterior. Porque o processo suscita dúvidas e apreensão e os sindicatos da UGT consideram ser inaceitável que não sejam garantidas, por parte do INE, as condições para uma comparabilidade entre os dados das duas séries, de modo a assegurar que seja possível conhecer a real e efectiva evolução do mercado de emprego em 2011, nomeadamente a do desemprego, a central sindical irá solicitar ao Conselho Superior Estatística, que coordena o Sistema Estatístico Nacional, a convocação, com, urgência, de uma reunião para discutir aprofundadamente as alterações metodológicas e os impactos na comparabilidade dos dados do emprego.

Desperdício de medicamentos dá “direito” a multa
A tutela ainda está a estudar a melhor forma de cobrar taxas e que valores aplicar a quem seja useiro no desperdício de medicamentos. A medida vai afectar sobretudo os doentes que tomam medicamentos de patologias mais caras, como sida ou cancro, e que vão buscar a medicação aos hospitais de forma gratuita. Quando o controlo entrar em vigor, as farmácias dos hospitais vão verificar se os doentes vão buscar mais medicamentos quando ainda deviam ter alguns, já que existem “situações em que o doente, depois de lhe terem sido disponibilizados gratuitamente os medicamentos na farmácia do hospital, volta a solicitar medicamentos, apesar de, face à prescrição anterior e ao registo existente, dever ter ainda medicação em seu poder”.

Mais de 100 médicos reformados foram contratados para o SNS
Segundo o Ministério da Saúde, ascende já a 110 o número de médicos reformados autorizados a continuar a trabalhar no SNS. No entanto, há ainda mais pedidos a serem analisados pela tutela e que têm de passar obrigatoriamente pelas mãos da titular da pasta da Saúde, como define o decreto-lei publicado há seis meses. A maioria dos médicos que a ministra Ana Jorge já autorizou a regressar trabalham na região de Lisboa e Vale do Tejo. Esta medida excepcional foi aprovada ainda no ano passado, como resposta à corrida às reformas antecipadas e à falta de médicos.

Estado pouparia 40 milhões de euros com desbloqueio de entrada de genéricos no mercado
“Neste momento, há 46 substâncias activas que não têm genéricos em Portugal, porque existem providências cautelares que o impede. O desbloqueamento permitiria uma poupança de cerca de 40 milhões de euros de economia anual”, afirmou Jorge Torgal, numa audição na Comissão Parlamentar de Saúde. “Este não é um problema nacional, é um problema europeu. Só que na Europa leva seis meses a ser resolvido e em Portugal há casos de seis anos”, referiu ainda o presidente do Infarmed. Recorde-se que os genéricos têm a mesma substância activa, fórmula farmacêutica e dosagem do medicamento original.

Banco público de células estaminais: o Lusocord já tem sangue de 5600 cordões umbilicais
Cristian foi pelo próprio pé buscar um papel que era quase da altura dele. António e Alexandre, gémeos, iam ao colo de Patrícia e Alexandre. Outros seguiram, muitos. São “cidadãos de fraldas”, que deram a outros a possibilidade de uma cura: o seu cordão umbilical. Há cerca de 15 meses nasceu o banco público de células estaminais, Lusocord. Para comemorar o evento, juntou os “clientes” que nele fizeram o depósito da vida. Eram uma pequena amostra deles, numa tenda de festas, nos jardins da Casa do Médico, no Porto. Foi o primeiro encontro e nem sequer assinalou uma data específica. Criado em Julho de 2009, o Lusocord já reuniu 11.500 amostras de sangue do cordão umbilical e criopreservou 5.600. Bem acima do previsto (cerca de três mil criopreservações em 12 meses).

Aspirina e leite podem reduzir vários tipos de cancro
Uma dose diária de aspirina com um copo de leite poderá reduzir significativamente a probabilidade de se morrer com vários tipos de cancro, concluiu um estudo publicado na revista médica “The Lancet”. A investigação, dirigida por Peter Rothwell, da Universidade britânica de Oxford, refere que tomar aspirina durante vários anos reduz o risco de se contrair cancro, ao mesmo tempo que o cálcio do leite aumenta as propriedades benéficas do medicamento.

     
   Imprimir        Voltar        Topo
Copyright © 2007 SBN