Pesquisa

ok
Home»Nortada»Nortada Detalhe
 
Lista A

Programa de acção

Introdução

A presente candidatura aos Corpos Gerentes do Sindicato dos Bancários do Norte para o mandato do quadriénio 2009/2013, representa o querer continuar uma obra iniciada há quatro anos e é, só por si, a demonstração clara da capacidade das tendências que a constituem ? TSS/SBN, TSD e TIDC ?, em ultrapassar e vencer as diferenças político-sindicais que as caracterizam, para defesa dos superiores interesses dos trabalhadores bancários, em especial dos associados do SBN. Defender o Sindicato dos Bancários do Norte, reforçar o seu papel no movimento sindical democrático e ter uma intervenção activa na Federação do Sector Financeiro (FEBASE) são objectivos de vanguarda desta candidatura. Fazem-no, porque pensam que só desta forma poderão os bancários, nomeadamente os associados do SBN, merecer o respeito do movimento Sindical e das entidades patronais.

Princípios Gerais
Com esta candidatura, as tendências que a constituem assumem o compromisso, perante os associados do SBN e perante todos os bancários, de cumprir e reforçar o papel interventivo que na sociedade cabe, por direito e obrigação, ao Sindicato dos Bancários do Norte. Esta candidatura é a garantia de que no SBN existirá UNIDADE, sem existir UNICIDADE, já que a mesma garante a inteira independência de cada uma das tendências tendo como limite, exclusivo, o cumprimento do presente programa de acção, se este, como esperamos, vier a merecer o apoio maioritário dos bancários. A intervenção crítica será, no entanto, respeitada e apreciada, como única forma de construção de uma verdadeira Democracia e do exercício de Cidadania. Com este programa, a candidatura reforça a garantia e assume o compromisso de gerir os destinos do Sindicato dos Bancários do Norte respeitando e fazendo respeitar os Estatutos e as Normas Legais tendo sempre em consideração as deliberações que venham a ser tomadas pelos Órgãos estatutários. A candidatura assume o compromisso de trabalhar com todos os associados que, com as suas ideias, queiram contribuir para o desenvolvimento e fortalecimento do SBN, bem como para a defesa dos trabalhadores portugueses. As Tendências sindicais que constituem esta candidatura assumem publicamente o compromisso de que os elementos por si designados ou a designar para os órgãos do sindicato são pessoas que, para além de possuidoras de qualidades reconhecidas terão inteira disponibilidade para a actividade sindical.

Princípios Programáticos
Para prossecução dos princípios enunciados e no sentido de que o Sindicato dos Bancários do Norte seja, cada vez mais, a casa comum de todos os associados, a candidatura propõe como princípios orientadores:
A ? No respeitante aos trabalhadores em geral:
1) Continuar a pugnar pelo desenvolvimento da consciência de classe dos Trabalhadores, para melhor defesa dos seus interesses morais, sociais, culturais, materiais e laborais, nomeadamente nos seus aspectos profissional, familiar, económico, de saúde e de educação, criando condições que levem à sua emancipação no contexto de uma sociedade cada vez mais globalizada;
2) Continuar a lutar pelo direito ao trabalho digno e contra o desemprego, bem como pela realização solidária dos objectivos específicos da classe trabalhadora;
3) Continuar a lutar pela progressiva criação de condições de intervenção democrática dos trabalhadores nos domínios político, económico, ecológico, social e cultural, intervindo nos locais próprios na defesa e alargamento desses direitos;
4) Desenvolver projectos de cooperação institucional com Estruturas Sindicais Internacionais onde o SBN se encontre filiado, nomeadamente a UNI, procurando implementar, simultaneamente, formas de diálogo e cooperação privilegiada com o movimento sindical congénere dos PALOP?S.

B ? No respeitante aos bancários em particular:
1) Continuar a mobilizar os associados em torno da sua estrutura sindical, promovendo, cada vez mais um sindicalismo de proximidade, através do contacto directo com os trabalhadores, auscultando os seus problemas e preocupações e promovendo a resolução de eventuais conflitos;
2) Continuar a incentivar a sindicalização de todos os trabalhadores bancários, nomeadamente dos mais jovens;
3) Mobilizar os associados para uma cada vez maior intervenção sindical, nomeadamente incentivando a intervenção dos jovens e mulheres, despertando-lhes a apetência para a sua participação nas actividades associativas dos trabalhadores. Para o efeito haverá necessidade de criar espaços de lazer, práticas desportivas e culturais ou outras, de forma a despertar-lhes o instinto social e sensibilizá-los para a actividade sindical;
4) Continuar a fomentar a participação activa dos associados em todas as actividades do Sindicato;
5) Concretizada a constituição da Federação do Sector Financeiro (FEBASE), instalados os seus Órgãos directivos e de decisão, há que promover a concretização dos seus objectivos ? a unidade dos trabalhadores do sector na defesa dos seus direitos;
6) Reforçar a intervenção activa do SBN na UGT ? União Geral de Trabalhadores, no respeito pela sua dimensão no Movimento Sindical Democrático;
7) Continuar a apoiar e organizar iniciativas de luta em benefício dos trabalhadores na situação de invalidez ou invalidez presumível, no sentido de aproximar os seus direitos aos dos trabalhadores do activo, nomeadamente nas tabelas salariais;
8) Continuar a lutar pela majoração pelas entidades patronais do valor do IRS nas pensões de reforma, repondo o princípio contratual, livremente acordado pelas partes, de que ?nenhum trabalhador na situação de invalidez poderá auferir valores líquidos superiores ou inferiores ao que recebe um trabalhador, do mesmo nível, no activo? ? salvaguardando a aplicação do anexo V;
9) Continuar a apoiar as organizações da Comissão Sindical de Reformados, de modo a manter os associados seniores mais activos e fidelizar a sua ligação ao SBN.

C ? No respeitante à organização
1) Continuaremos com o plano de reestruturação de forma a prover o SBN com uma estrutura adequada aos novos desafios com que diariamente se confronta. Apostaremos, por isso, numa política de pessoal coerente e mobilizadora, sem pôr em causa quer os interesses dos trabalhadores do sindicato quer os interesses da instituição;
2) Promoveremos um plano aglutinador de experiências e conhecimentos adquiridos, onde todos os associados revejam os seus projectos e objectivos.

D ? Estatutos
Há muito reconhecida a necessidade de adaptar os Estatutos às novas exigências que se colocam ao movimento sindical em geral e aos sindicatos em particular, a candidatura compromete-se a empenhar- se na revisão dos Estatutos, modernizando-os e agilizando-os, envolvendo, para isso, quer as tendências político-sindicais com expressão no SBN, quer os associados em geral.

E ? Política patrimonial
Resolvida que foi a questão do equipamento de S. Miguel-o-Anjo, o Sindicato dos Bancários do Norte continua a ser proprietário de um elevado património imobiliário que merecerá atenção especial. Tendo sempre presente o interesse do Sindicato, promoveremos estudos que permitam valorizar, rentabilizar ou, em alguns casos, verificar da necessidade da sua alienação. Para prossecução desses objectivos, há que ter em consideração a situação do seguinte património:

1) Edifício de Cândido dos Reis
Situado no coração da zona histórica do Porto necessita urgentemente de uma redefinição do seu aproveitamento, transformação ou alienação.

2) Quinta de Pais
É hoje inegável que os objectivos que nortearam a sua aquisição não foram alcançados, nem se prevê que possam vir a ser atingidos. Urge, por isso, proceder a estudos que permitam ou a sua rentabilização ou a alienação de modo a estancar o esforço financeiro que o SBN anualmente vem assumindo.

3) Casa Sénior
Consumada a alienação do empreendimento de S. Miguel-o-Anjo, impõe-se agora ao SBN manter um acompanhamento atento ao desenvolvimento da Casa Sénior, sociedade em que o SBN continua a ter importante participação. A direcção do SBN nomeará os seus representantes tendo em conta os princípios estabelecidos para a constituição do C. G. do SAMS.

4) Edifícios da Rua de S. Brás e da Rua Damião de Góis (Garagem Vouga)
Finalmente legalizado o principal edifício de S. Brás, continuam, no entanto, sem aproveitamento os espaços dos restantes edifícios de que o SBN é proprietário na zona. Será por isso feito um aprofundado estudo que possa proporcionar a sua rentabilização ou utilização

F ? Serviço de Assistência Médico Social (SAMS)

Prestação de cuidados de saúde

Sendo a saúde um direito inalienável e constitucionalmente reconhecido, não poderá ser considerado um privilégio.
De acordo com o contratualmente estabelecido, compete ao sindicato prestar assistência médica e medicamentosa aos trabalhadores bancários ? que exerçam a sua profissão na zona do SBN ?, e seus familiares, nos termos do respectivo regulamento tendo em consideração os estatutos.
Responder com eficácia e atempadamente aos seus beneficiários, especialmente quanto à qualidade e atendimento, será o principal objectivo desta candidatura para o mandato de 2009/2013, adequando os serviços às reais necessidades que hoje se colocam aos bancários.
Assim:
1) Em conjunto com o Conselho de Gerência, faremos uma avaliação de toda a estrutura do SAMS, incluindo a melhor utilização do edifício de S. Brás e funcionamento dos Posto Clínicos, de forma a agilizar os serviços prestados, projectando-os para o futuro e adaptando-os às novas realidades;
2) Pugnaremos por continuar a prestar e a melhorar a assistência médica e medicamentosa aos trabalhadores bancários e seus familiares, através do Serviço de Assistência Médico Social (SAMS), nos termos do seu regulamento;
3) Continuaremos a pugnar pela criação do SAMS Único (SAMS PORTUGAL), no sentido de que possa ser proporcionado a todos os bancários o mesmo tratamento na saúde, independentemente da sua categoria profissional, área de trabalho ou residência.



EFECTIVO
MAGCGC

1
ALFREDO MANUEL VIEIRA CORREIA 20114 CGD GONDOMAR
2 ALBERTO AMADEU ALVES VASCONCELOS 13688 BST PORTO
3 FRANCISCO MARIA SILVA MATEUS 11503 BBPI PORTO
SUPLENTE
MAGCGC
1 JOAQUIM ANTÓNIO SILVA MACHADO 10406 MBCP GUIMARÃES (SÃO PAIO)

2
CARLA MARISA A. PASCOAL ROQUE SANTOS 25092 MBCP PORTO

EFECTIVO
DIRECÇÃO
1 MÁRIO JOAQUIM SILVA MOURÃO 16049 BES PORTO
2 MANUEL PEREIRA GOMES 9849 BES PORTO
3 JOSÉ DAVID MARTINS ALVES 21485 BBPI PORTO
4 ALBERTO MÁRIO COSTA SIMÕES 5068 MBCP PORTO
5 PAULO DUARTE SILVA COUTINHO 18338 BST PORTO
6 DOMINGOS FERREIRA TEIXEIRA GUIMARÃES 11094 MBCP SANTO TIRSO
7 CLARA MARIA ASSUNÇÃO QUENTAL SILVA 22789 CCAM ALFÂNDEGA DA FÉ
8 VITORINO ANTÓNIO RIBEIRO 8490 BBPI PORTO
9 GABRIEL MENDES COSTA 26750 BST VALONGO
10 FRANCISCO HENRIQUE MORAIS REGO 22467 BP PORTO
11 JOSÉ ANTÓNIO DEUS GONÇALVES 19862 BST PORTO
12 MARIA ANGELINA SOUSA 9385 BBPI PORTO
13 ANA MARIA PINHEIRO RIBEIRO 25318 BST GONDOMAR

SUPLENTE
DIRECÇÃO
1 MARIA ISABEL ALMEIDA VELADA 23173 CGD ESGUEIRA
2 ÁLVARO MANUEL ALMEIDA RICARDO 21752 BES MAIA
3 CÉSAR ALBERTO RODRIGUES CAMPOS 23639 BST BARCELOS
     
   Imprimir        Voltar        Topo
Copyright © 2007 SBN