Pesquisa

ok
Home»Nortada»Nortada Detalhe Novembro 2020 a Fevereiro 2021
 
Programa de Ação e Orçamento para 2021

CONSELHO GERAL APROVA


Foram aprovados, por unanimidade, em reunião do Conselho Geral realizada no dia 7 de janeiro, o Programa de Ação, as Bases Gerais e o Orçamento para o ano de 2021.


Em face dos constrangimentos decorrentes das restrições sanitárias, o orçamento foi apresentado com o ano já a decorrer, tendo muitos dos conselheiros optado por participar em regime de videoconferência. Em termos económicos, o documento prevê um resultado líquido consolidado positivo de 393 mil euros para o novo exercício, apurado da seguinte forma:


Conforme o referido pela Direção no decorrer do Conselho Geral, o Orçamento encontra-se fortemente condicionado pelo ato eleitoral que se avizinha, previsto para este ano. Por este motivo, em termos das dotações orçamentais foram efetuadas algumas opções contrárias à prática que tem vindo a ser seguida nos anos anteriores.



  1. No âmbito da Unidade de Exploração da Atividade Sindical, foi contemplada a inclusão de toda a atividade corrente, pelo que as correspondentes previsões foram incluídas nos respetivos mapas orçamentais. Contudo, já no que concerne à atividade não corrente, foram apenas incluídas as que se encontram previstas para as SSD, SSE e SSR, tendo-se optado pela não inclusão de qualquer atividade a promover no âmbito dos pelouros, no período pós ato eleitoral.

  2. Nas restantes Unidades de Exploração – Regime Geral, Fundo Sindical de Assistência, Loja de Ótica e Pinheiro Manso, manteve-se o critério seguido nos últimos anos, pelo que os mapas previsionais apresentados refletem a totalidade da atividade prevista para os doze meses do ano. Assim, e a nível dos rendimentos, o orçamento prevê um total de 28,116 M€ recebidos a título de quotizações e contribuições (representando 88,49% do total) e, no que concerne à área exclusivamente do SAMS, 570 M€ de rendimentos provenientes
    de serviços clínicos (que incluem os valores resultantes da venda de senhas de consulta, de análises clínicas, de atos médicos internos e de penalizações por falta a consulta, entre outros).



PREVISÃO DA EVOLUÇÃO DAS QUOTIZAÇÕES E CONTRIBUIÇÕES




Gráfico 1
Previsão da evolução dos rendimentos provenientes de Quotizações e Contribuições.



Foram orçamentados 480 M€ pela prestação de Serviços Sociais e, relativamente aos Rendimentos suplementares, prevê-se contabilizar 1,219 M€, que incluem 830 M€ provenientes de rendas.

Já no que concerne aos gastos, estima-se que atinjam 31,381 M€, dos quais 20,663 M€ se referem a despesas com a atribuição de comparticipações, o que, a verificar-se, se traduzirá numa diminuição de 16,38% face ao montante contabilizado em 2019 (último exercício com contas aprovadas), motivada pelo menor afluxo dos beneficiários à rede externa, em resultado da pandemia COVID-19, e pela cessação do acordo com a AdvanceCare. Para melhor explicitação da evolução prevista com esta rubrica, apresenta-se de seguida um gráfico contendo os valores registados no período 2012-2021, com inclusão dos montantes aprovados pelo Conselho Geral para o exercício de 2020 e para o próximo ano.



PREVISÃO DA EVOLUÇÃO DOS GASTOS COM COMPARTICIPAÇÕES PERÍODO [2012-2021] (PÓS-DENÚNCIA DO ACORDO ACSS)




Gráfico 2
Previsão da evolução da despesa com as Comparticipações.


Por outro lado, salvaguardando-se as atuais limitações em termos de saúde pública, e porque a Direção entende que é prioritário preservar o fortalecimento da atividade sindical, mantiveram-se as dotações orçamentais para as visitas aos balcões. Isto porque, tal como é referido no Programa de Ação, “mantemo-nos firmes no propósito de promover a aproximação sindical aos bancários”.
Em 2021, prevê-se uma economia a nível dos Fornecimentos e Serviços Externos (-295.428 €), com uma redução da despesa nas seguintes rubricas: Deslocações e estadas (-48.245 €) e outros serviços (-264.004 €).



PREVISÃO DE EVOLUÇÃO DOS FSE

Quadro 1
Previsão do gasto com os Fornecimentos e Serviços Externos



Seguindo as boas práticas contabilísticas, o SBN classifica apenas em Gastos com o Pessoal os valores pagos ao pessoal vinculado à instituição (através de contrato individual ou coletivo de trabalho), enquanto
as remunerações atribuídas aos trabalhadores independentes são consideradas serviços externos, sendo, portanto, classificadas em FSEs. Ora, se efetuarmos o somatório de ambas as rubricas, diremos que a
Direção estima despender 5,025 M€ com esta tipologia de despesa. No âmbito do SAMS, o efeito conjugado da diminuição das rubricas de Gastos com o Pessoal, Comparticipações e FSEs, associada ao pequeno
aumento previsto para o montante total a receber de Contribuições, deverá ser, ainda assim, insuficiente para que o desempenho económico seja favorável (RL do RG + FSA = -179.653 €).
Por sua vez, é expetável que a Loja de Ótica tenha um bom registo, prevendo-se um resultado líquido de 240 M€. Estimou-se um volume de negócios na ordem dos 1,064 M€ para 2021, ou seja, uma previsão mais otimista do que a correspondente ao valor final de 2020.



PREVISÃO DA EVOLUÇÃO DAS VENDAS



Gráfico 2
Previsão da evolução das vendas da Loja de Ótica



Ainda que a SBN - Residência Sénior usufrua de uma total autonomia jurídica e económica, foram previstas e consideradas na Unidade de Exploração de Pinheiro Manso todas as dotações orçamentais afetas
exclusivamente ao imóvel. Nessa medida, prevê-se receber 414.634 € de Rendimentos provenientes de Rendas, montante que será suficiente para cobrir a estimativa de gastos com FSEs e com o serviço da dívida, antevendo-se, nessa medida, um RL de 10.346 € para 2021.
Por todos estes factos, a Direção caracterizou o Orçamento aprovado como um documento concebido na base do rigor e da transparência,
refletindo também, e sobretudo, espírito de prudência relativamente ao futuro.

     
   Imprimir        Voltar        Topo
Copyright © 2007 SBN