Pesquisa

ok
Home»Nortada»Nortada Detalhe Março Abril 2019
 
GRAM

Workshops




Iniciação à astrologia (quatro módulos)


Vai ser realizada uma oficina de iniciação à astrologia, desenvolvida em quatro módulos – os signos, o ascendente, os luminares e as casas –, todos a duração de três horas (das 15 às 18), nas instalações do SBN na Rua Cândido dos Reis, 100, 3º, e ministrados pela formadora Isabel Gomes nas seguintes datas:


1º módulo, em 25 de maio


Doze Signos – As simbologias, as qualidades, o que precisam de aprender os elementos, debilidades e caminhos.


2º módulo, em 15 de junho


Os Ascendentes – A grande importância do signo ascendente - como caminho – como os primeiros anos de vida – caraterísticas.


3º módulo, em 29 de junho


Os Luminares – O Sol e a Lua no mapa natal. O consciente e o inconsciente, em que signos estão e que mensagem e pistas oferecem.


4º módulo, em 6 de julho


As Casas – As casas são doze divisões no mapa natal e representam as áreas de vida. Como podemos compreendê-las e vivê-las melhor.


A iniciativa realiza-se com um mínimo de doze e um máximo de vinte inscrições, que deverão ser efetuadas até 17 de maio. O preço por pessoa e por módulo é de 12,50 € para associados do SBN e respetivo agregado familiar e de 15,00 € para acompanhantes




Reflexologia podal


Vai ser promovida, no próximo dia 18 de maio, com início às 14h30 e fim previsto para as 18h30 horas, uma oficina de reflexologia podal, nas instalações da Rua Cândido dos Reis, 100, 3º, que será ministrada por Luís Filipe Gomes de Freitas, formador na área de Medicina Tradicional Chinesa desde outubro de 2007 e nas áreas de Reflexologia, massagem shiatsu, massagem Tui-na. É mestre de reiki.


Reflexologia podal é a arte de detetar, prevenir e tratar desequilíbrios de um indivíduo, com recurso a reflexos, utilizando áreas na zona dos pés e das mãos.


A iniciativa realiza-se com um mínimo de quatro e um máximo de doze inscrições, que deverão ser efetuadas até 10 de maio.


O preço de cada inscrição é de 27,50 € para associados e respetivo agregado familiar e de 30,00 € para acompanhantes.




Iniciação às “bonecas rositas”


As “Rositas Art&Rosas” nasceram em 2015, a partir da uma brincadeira para o Dia da Mãe, mas hoje já embelezam muitos lares por esse mundo fora.


Chamam-se rositas pelas rosas, pelas declarações de amor que cada uma transporta em si – pelas rosas, devido à delicadeza e sensualidade, pelas cores, pela coragem de serem imperfeitas e transportarem espinhos, reflexos de batalhas e obstáculos vencidos.


A Art&Rosas é, por sua vez, parceira da marca internacional “Namorar Portugal”, desde 29 de janeiro de 2018, dia da apresentação ao público da primeira coleção.


No próximo dia 11 de maio, com início às 15 horas e fim previsto para as 18, realiza-se uma oficina de iniciação às “bonecas rositas – bonecas de cabaça”, orientada por Aguinalda Conduto, autora de todas as peças da marca e dinamizadora de oficinas da Art&Rosas.


Embora destinada aos associados do SBN e familiares, para a oficina das rositas é sugerido um público adulto ou jovem adolescente com mais 15 anos, já que é necessária uma maior autonomia por parte dos participantes. A rosita a construir já vai preparada.


A cabaça será de tom natural, com o objetivo de destacar o fruto, tratada para o trabalho artesanal, com a estrutura de corpo e cabeça prontos para serem vestidos e penteados, criando-lhes um corpete e cabelos, estruturados com elementos pendurados.


Cada rosita ficará embelezada ao gosto de cada pessoa e a saia de cabaça será embelezada com elementos como corações, pássaros e flores.


Todas as peças serão envernizadas e ficarão com o logo da marca, com a assinatura da autora e do formando e a data da oficina.


A iniciativa só se realiza com um mínimo de dez e um máximo de quinze inscrições, que deverão ser efetuadas até 3 de maio.




Iniciação da técnica “macramé – bijuteria com cristais”


Módulo I


O macramé é uma arte de atar e entrelaçar fios que retoma ao séc. XVI e que estimula o lado criativo, explorando a imaginação para criar diversos tipos de peças muito pessoais.


No passado dia 30 de março realizou-se uma 2ª edição da oficina “Iniciação da técnica macramé, em bijuteria com cristais”, módulo 1, coordenado pelo artesão holístico Fernando Moreira, que teve a presença de seis pessoas.


Neste módulo foi possível encontrar-se um momento tranquilo e de harmonia, totalmente dedicado à arte e à criatividade, em que foram abordados os nós básicos e essenciais para entender e dar início àquela prática.


Foram criados dois trabalhos com cristais e um com o fio, que serviu para combinar com os trabalhos anteriores e criar um colar.


Cada aluno escolheu os cristais que com ele se identificavam e com os quais iria criar as peças, após o que cada um recebeu uma informação terapêutica dos cristais escolhidos.


Módulo II


O módulo II teve lugar nas mesmas instalações e no mesmo horário, no dia 13 de abril, do qual daremos notícias em próxima edição.




Orquídeas – Phalaenopsis e seu cultivo


Em colaboração com a Associação Portuguesa de Orquidofilia (APO), foi promovida no passado dia 16 de março uma oficina sobre o cultivo de orquídeas, orientada por Graziela Meister, presidente da APO.


A oficina, cujo valor angariado reverteu a favor da APPDA/Norte, teve a adesão de 25 participantes.




Arranjo de plantas e terrários


No passado dia 30 de março, as plantas de interior que dão um toque de frescura e de cuidados ao ambiente da casa foram o foco dos sete participantes que estiveram presentes, nas instalações do Horto da Circunvalação, em Gondomar, numa oficina de arranjo de plantas e terrários, que teve por objetivo aprender a fazer arranjos para interior com utensílios do dia-a-dia – vasos, frascos de compota, copos, artigos de decoração ou o que a imaginação permitiu –, bem como a executar arranjos com algumas composições de plantas




Pintura em tecido


Aprender a pintura em tecido foi o objetivo traçado por quantos participaram, no passado dia 13 de abril, na oficina orientada por Ana Maria Costa, em que, depois de previamente fazerem um croquis em tecido fornecido pela formadora, lhes foi permitido personalizarem uma peça de roupa (camisola, pijama, t-shirt…).




Agulha & Dedal”, aprender, fazendo – Iniciação à costura


Dando satisfação às solicitações de várias associadas, após a realização de duas edições da oficina sobre iniciação à costura que se realizaram em 2018, foi organizada, no passado dia 16 de março, novo iniciativa, que teve a presença de quatro pessoas, a quem, com a ajuda e colaboração da modista de alta costura Isabel Resende, foi proporcionada a aprendizagem de fazer arranjos, restauro e confeção de roupa.




Visitas, viagens e caminhadas>




Dia Internacional da Mulher


A tradicional confraternização comemorativa do Dia Internacional da Mulher realizou-se no passado dia 23 de março, este ano na Quinta do Príncipe, em Chaves, com a presença de 170 pessoas que quiseram reavivar a solidariedade expressa na data comemorativa, bem expressa na intervenção do representante do SBN.




65ª caminhada: “O Passo dos Mouros e a Falha de Morais”


Integrado nas comemorações do Dia Internacional da Mulher, foi promovida, no passado dia 9 de março, num percurso denominado “O Passo dos Mouros e a Falha de Morais”, pela Rota do Azibo e Convento de Balsamão, na freguesia de Lombo, em Macedo de Cavaleiros, a 65ª caminhada “Põe-te andar, pela tua saúde…”, de cariz cultural, ambiental e interpretativo, que mereceu a participação de 47 pessoas. Orientada por um guia credenciado e certificado, Paulo Fonseca, coadjuvado pelo associado e colaborador do SBN Francisco Barros, a caminhada proporcionou um grande dia para todos os caminhantes, que durante os cerca de dez quilómetros, por entre amendoeiras em flor, oliveiras, sobreiros e ciprestes, e muita água, usufruíram de uma jornada ideal para este tipo de exercício, ao mesmo tempo físico e lúdico. No topo do Monte Carrascal, depois de uma subida íngreme, fica o Convento de Balsamão, que se pode visitar ou mesmo utilizar como alojamento – por quem desejar um espaço que funciona, essencialmente, como retiro ou fuga ao stresse –, e que deve o nome a uma antiga lenda, segundo a qual, durante a ocupação do território pelos muçulmanos, “ uma senhora misteriosa apareceu a sarar as feridas dos cristãos com um bálsamo na mão”.


Durante o trajeto houve ainda oportunidade de atravessar o rio Azibo, permitindo, a quem assim o quis, um “lava-pés” nas águas que corriam fortes e gélidas.




68ª: Dia da Mãe “Por Drave, a aldeia Mágica”


Como forma de comemorar o “Dia da Mãe e conforme anunciamos na passada edição, a 68ª caminhada – “Põe-te andar, pela tua saúde…” –, terá lugar no próximo dia 4 de maio, em Drave, a denominada “Aldeia Mágica”, num percurso marcado nos dois sentidos, seguindo as normas da Federação Portuguesa de Campismo e Caravanismo. A caminhada cultural, ambiental e interpretativa será orientada por Paulo Fonseca, guia credenciado e certificado, coadjuvado pelo sempre disponível Francisco Barros, associado e colaborador do SBN para esta modalidade.


Drave, a “aldeia mágica” – Serras da Freita e Arada


Drave é uma aldeia encantadora que há muito conquistou o título de Aldeia Mágica, encaixada no fundo de um elevado outeiro, entre as serras da Freita e Arada. É uma aldeia típica feita de casas de xisto, com arruamentos estreitos e irregulares. À volta existem enormes montanhas e alguns terrenos de cultivo, que outrora permitiram a subsistência dos habitantes.


O Solar dos Martins, a capelinha dedicada a Nossa Senhora da Saúde e a Ribeira de Palhais, com pequenas cascatas e lagoas de águas cristalinas, são alguns dos pontos de interesse que mais se destacam na aldeia.




Visita cultural a Santarém…


A cidade de Santarém foi palco, no passado dia 4 de abril, de mais uma visita cultural, à qual, como seria de calcular dado o êxito da visita ali efetuada em fevereiro, aderiram 56 pessoas, com manifesto agrado.




… e a Aveiro


Tal como Santarém, também Aveiro mereceu a adesão interessada de sessenta participantes, na visita ali programada para o passado dia 9 de abril.


Aveiro distingue-se pelos canais navegados por barcos coloridos (moliceiros), tradicionalmente utilizados para a colheita de algas (moliço) criadas nas águas da ria, sendo, por isso, conhecida por “Veneza Portuguesa”.


Para além disso, é um importante centro urbano, portuário, ferroviário, universitário e turístico, apesar de um município territorialmente descontínuo, visto que compreende algumas ilhas fluviais na ria e uma porção da península costeira que fecha a ria a ocidente.

     
   Imprimir        Voltar        Topo
Copyright © 2007 SBN