Pesquisa

ok
Home»Nortada»Nortada Detalhe Maio e Junho 2017
 
Nova Direção, objetivos reforçados

Firmino Marques



Formulo os meus mais sinceros votos para que, “solidariamente unidos”, como refere o seu programa eleitoral, os novos corpos gerentes saibam levar a nau a bom porto, apesar dos ventos traiçoeiros que por vezes terão de enfrentar e de alguns “adamastores” que ainda continuam a povoar os mares agitados do setor bancário no nosso país.


Em muitas organizações, os atos eleitorais prenunciam mudanças de rumo com clivagens e ruturas de tal modo pronunciadas que acabam por descaracterizar a verdadeira essência daquilo para que vinham sendo talhadas.
Felizmente que assim não aconteceu com as eleições do passado dia 20 de abril no Sindicato dos Bancários do Norte. Com efeito, quem ler com atenção os objetivos programáticos dos novos corpos gerentes, poderá concluir que os mais relevantes objetivos perseguidos de há algum tempo a esta parte se encontram reforçados.
Dir-se-á que outra coisa não poderia acontecer, face à crise que continua a afetar o setor bancário e os seus trabalhadores. Mas ainda bem que os novos dirigentes sinalizaram de forma muito precisa os principais constrangimentos e problemas que ainda persistem e que, nas suas linhas de ação, apontam os caminhos suscetíveis de combater e de atenuar – senão de eliminar… – a perversidade dos efeitos que a inesgotável crise teima em disseminar.
Não cabe aqui fazer uma análise exaustiva do programa dos novos corpos gerentes. Mas não seria desejável deixar passar em claro aqueles que, em meu entendimento, constituem os três vetores fundamentais em que assenta o combate sindical para o próximo quadriénio – sem menosprezo, bem entendido, para todas as outras áreas.
Neste aspeto, quero referir, designadamente, todas as lutas – seja através de um diálogo profundo, profícuo e descomplexado, seja através de outras formas que entretanto forem encontradas – pela defesa dos postos de trabalho. De referir, ambém, a defesa intransigente do SAMS (a “joia da coroa” do nosso sindicato), e ainda uma permanente e ativa presença em todas as mesas negociais, para que, em sede de contratação com os outros parceiros da Febase, sejam conseguidas melhorias das condições de vida e de trabalho para os nossos associados.
Os mais céticos argumentarão que a tarefa não é simples, que se afigura quase hercúlea. Estou certo que desses não rezará a história.
Por isso, formulo os meus mais sinceros votos para que, “solidariamente unidos”, como refere o seu programa eleitoral, os novos corpos gerentes saibam levar a nau a bom porto, apesar dos ventos traiçoeiros que por vezes terão de enfrentar e de alguns “adamastores” que ainda continuam a povoar os mares agitados do setor bancário no nosso país.
Aos novos dirigentes do SBN, a quem felicito pelo mandato que lhes foi confiado pelos associados, deixo a exortação de Pablo Neruda: “Não é pelo tamanho que terás êxito ou fracasso! Basta que sejas o melhor naquilo que fores!”.

     
   Imprimir        Voltar        Topo
Copyright © 2007 SBN